sexta-feira, 17 de abril de 2015

Não somos obrigadas a nada, a nada !


Lendo um artigo qualquer pela internet um dia desses, sobre estereótipos e preconceito, lembrei de pequenos acontecimentos que aconteceram na minha vida que valem à pena serem revistos e analisados. Por exemplo, no tempo da escola ainda no ensino fundamental, eu era alvo de constantes chacotas por usar óculos de grau (MUITO alto) e aparelho dentário. Acreditem ou não, ainda hoje depois de muitos anos isso aconteceu, uma pessoa me comparou a uma personagem daquela novela mexicana que tem uma mulher considerada ‘’feia’’ por usar óculos de grau e aparelho, porém ela é inteligentíssima e no final muda completamente o visual (bem pretensioso). Um dia desses no meu instagram postei uma foto da minha da minha perna, mas o foco eram as unhas e uma pessoa desconhecida veio comentar ‘’ nossa que pernas peludas’’.


Não tenho o hábito de depilar meu corpo (pernas, braços, pescoço) pois não sinto a necessidade de depilar, me sinto bem assim, e jamais irei fazer uma coisa que não vejo necessidade só porque outras pessoas estão incomodadas, ou sentem ‘’nojo’’.  Tampouco irei ficar triste por usar óculos de grau forte e aparelho.


Desde pequenas somos impostas a pequenos padrões de ‘’beleza’’ as diversas mídias ditam como devemos agir e como devemos consumir produtos para sermos aceitas em determinados grupos.


O fato é que seguimos padrões sociais. Na Grécia antiga o ideal de beleza (corporal) feminino era ser mais cheinha ‘’kalon kakon ─ "uma coisa perversa e bela" (perversa por ser bonita e bonita por ser perversa, percebe-se aí já uma conotação negativa ao fato de ser uma mulher bela, a beleza feminina hipnotizava e ‘’escravizava’’ os homens vide Helena de Tróia, porém não podemos generalizar falando de Grécia antiga pois as cidade-estado era bem distinta uma das outras), já os padrões masculinos era ter lábios carnudos e queixo bem desenhado e claro, os músculos definidos. Além disso, ter uma beleza física significava ser ‘’abençoado pelos deuses’’ e ter um corpo bonito significava também ter uma mente bela ‘’ kaloskagathos ─ belo e bom’’ (sempre leio isso com a voz de uma querida professora de Filosofia Antiga que tive no meu antigo curso<3).


Contudo, quero deixar claro aqui o quão importante é você ter a liberdade pra ser e usar o que você quiser. Se te faz bem depilar as pernas ou usar óculos de grau, se você gosta de pintar os cabelos, ou alisar com escova progressiva, faça! Só não faça algo pra impressionar algo ou alguém, nunca deixem baixarem sua auto-estima por não seguir um padrão de ‘’beleza’’, seja você mesma.


Abraços.


Desenvolvido por: Gabriela Charbe | Todos os direitos reservados.